Crônica: Não Somos Magras e Nem Gordas, Somos Alma Furta Cor



Li estes dias uma matéria muito boa, que me fez refletir sobre uma porção de coisas. Uma delas é como gostaria de viver em um mundo onde as pessoas são vistas pelos seus valores com bondade, compaixão, inteligência e não pelo índice de massa corporal. Há todo tempo estamos sendo julgados pela forma que a gente se veste, o esmalte que a gente escolhe e a tendência que a gente deixa de seguir. Mas resolvi falar das pessoas que não são gordas e nem magras, são normais. Podem estar um pouco acima do peso como eu, mas nem de ,longe podem ser gordas.

Fiquei a vida inteira escutando que tinha ombros largos, ossos pesados e coisas deste tipi. Também fiquei escutando muito da minha vó que homens preferem mulheres com mais carne, mais curvas do que um saco de ossos. Mas quando me expresso com as pessoas que preciso de dieta, preciso entrar em forma, sou discriminada por algumas pessoas que simplesmente me veem de outra forma. E ao mesmo tempo estas pessoas nunca me disseram que estava de fato magra e que estava tudo bem no meu corpo, sei por experiência própria que nunca serei um saco de ossos, nem que eu quisesse ou perdesse todo o peso do mundo, afinal tenho curvas, tenho mais curvas do que a estrada de Santos e isso se torna um dilema na hora de escolher roupas. Afinal meu guarda roupas, tem todos os tamanhos possíveis, vou do M ao G em questão de segundos.

Para quem sabe do que estou falando, sabe que ir ao provador, levará no mínimo três tamanhos diferentes, afinal é quase impossível saber de fato o que irá servir. Por isso que ganhar roupa é uma coisa quase humilhante, já que sabe que muito provável terá de ir na loja trocar e rezar para que tenha a mesma peça de roupa para que a pessoa que deu o presente não desconfie. Não entendo de fato a mania das pessoas te darem roupas sem ao menos terem a menor noção do seu corpo ou darem roupas como partes de baixo ou roupas de banho. Afinal isso é uma coisa muito pessoal, que até mesmo a minha mãe me leva junto se quer me dar um destes itens. O complicado quando você tem que trocar roupa que ganhou de alguém, este alguém não pode saber que você trocou. Afinal ele irá querer te ver com a roupa, aí entra outra coisa que não entendo nas pessoas. Elas te dão um presente, mas de fato estão presenteando elas mesmas, de fato elas se imaginam usando o que te deram de presente e aí de você que não esteja par das suas expectativas. De uma forma ou de outra, sempre troco presentes, já que algumas vezes ganhei confecções tão pequenas que mal passaram na minha cabeça e literalmente fiquei entalada parecendo um abajur.

Pertenço ao time que não é magra e também não é gorda. Tem uns quilinhos há mais, vai passar a vida tentando se livrar deles, mas claro sem tirar o olho dos doces. Afinal pertenço ao time que malha, sua a camisa pensando no que vai comer depois. Afinal todos nós precisamos de motivação para tudo se é a própria comida que me motiva, paciência. Espero com o tempo poder dizer que aceito todas as minhas curvas, aceito os meus excessos de gostosuras e com certeza me livre para sempre desta obsessão por estar dentro de um padrão. Quero pertencer ao padrão de ser feliz exatamente como sou. Quero ter orgulho de todos os tamanhos de roupa do meu armário e não ter essa mania de arrancar as etiquetas que mostram os tamanhos. Poder entrar em uma loja sem ter a vergonha de pedir exatamente o tamanho que sei que irei entrar. Aceitar que de fato a pessoa que me escolheu, aprecia as minhas curvas, não está nem aí para o meu peso e vê linda porque enxerga a minha alma.

Um último apelo para as meninas, mulheres e garotas que passam pelo que passo. Parem de tentar pertencer a um lugar que nem mesmo as pessoas que nos inspiram, que estão na mídia pertencem, afinal elas são retocadas com fotoshop e com certeza não são assim tão perfeitas na vida real. Parem de tentar ser o que não são, se quiser emagrecer, seja de uma forma leve, divertida e com menos neuras e punições. Encontre de fato uma atividade física que lhe dê prazer dançar também perde calorias. Não precisa ficar horas correndo para lugar algum encima de uma esteira e nem ficar carregando peso, seja livre em suas escolhas. Faça escolhas baseado em ser plenamente feliz e não aceitável perante esta sociedade hipócrita e preconceituosa. Afinal somos mulheres com curvas, com coxas grossas, bumbum grande e nem por isso somos menos ou mais do que as pessoas magras. E fico aqui me perguntando até quando seremos julgados pelo nosso peso e não pela nossa alma?

Nenhum comentário:

Postar um comentário